Notícia postada em 09/06/2015
As mães do novo Milênio

Elsânia Estácio
 Créditos da Foto: Fabiane Ritz 

Ser mãe não é uma tarefa fácil, elas se dividem entre se dedicar á família, trabalho, serviços domésticos e muitas vezes aos estudos



A mulher do século XXI tem desempenhado seu papel de mãe de uma maneira mais firme e confiante. Os velhos conflitos entre carreira, maternidade e família, que obrigava à mulher decidir entre abandonar sua carreira ou conciliar dupla ou tripla jornada, estão sendo gradativamente substituídas por uma postura segura e madura que possibilita seu crescimento pessoal e profissional. As mães do século XXI amam e aprendem junto com os filhos. Ela aprenderam com o passado que os excessos impossibilita o desenvolvimento da criança e chegou à conclusão de que precisava eliminar certas neuras como, proibir, poupar, exigir e ter expectativas. A nova mulher do século XXI é uma mãe com um novo olhar graças ao seu engajamento em várias áreas da vida. Trocou a velha divisão de tarefas por responsabilidades integrais assumidas por pais, mães e filhos.


Elas trabalham, estudam, cuidam da casa, dos filhos, da própria vaidade e ainda concilian suas funções de maneira equilibrada sem prejudicar um lado ou o outro. Vida de mãe está fora de ser tranquila, mais uma importante atividade foi atribuída ao cotidiano das mães brasileiras: a interação com os meios de comunicação. A procura por informação nas redes sociais relacionadas à maternidade e ao universo feminino, relacionamentos familiares e pessoais é crescente entre as mães, que são seres ávidos por informação, elas recorrem aos grupos privados do Facebook, que mudaram a maneira como as mães do Distrito Federal se relacionam e trocam experiências.


Por meio desses grupos elas trocam constantes informações, experiências, compartilham duvidas, fazem amizades e se reúnem com frequência, como é o caso do grupo privado, "Mães Amigas de Águas Claras", tem como foco divulgar assuntos relacionados à maternidade, interagir com as mães do Distrito Federal, trocar experiências sobre cuidados com os filhos, dicas de livros, médicos, conselhos e até divulgação de promoções e eventos. O grupo foi criado pelas moderadora Ana Paula Leite Sousa, 32, com o apoio das atuais administradoras, Adriana Navarro, 41, Kelly Sumi, 37, Nina Salomé, 36, Aline Amorim, 38, e Viviane Amorim, 38 em junho de 2012, com o objetivo de interagir com as mães que se sentiam sozinhas no doce e árduo trabalho materno. No começo era só um fórum virtual de desabafo, hoje a comunidade reúne cerca de 32 mil mães, que denunciam diariamente irregularidades, trocam conselhos, engajam-se em causas sociais, discutem temas polêmicos, incentivam o empreendedorismo feminino, compra e venda de trabalhos.


Estão cadastradas brasilienses de todas as regiões, classes sociais e idades. Homens não podem entrar para que todas se sintam confortáveis ao falar e desabafar. Para participar é preciso solicitar a entrada na página, que é fechado para homens e perfis comerciais. Diariamente são adicionadas cerca de 100 pessoas ao Mães Amigas de Águas Claras.“Criei o grupo sem grandes pretensões e logo foi crescendo e ajudando muitas pessoas também recém chegadas a terem uma oportunidade de troca e acolhimento num bairro vertical que dificulta as relações. Hoje somos reconhecidas por onde passamos, temos adesivos e camisetas personalizadas com a nosso logo. Somos carinhosamente chamada pelos nossos maridos de mafiosas,” conta a idealizadora do grupo, Ana Paula.


As regras da página, são claras: ninguém sugere remédios, ameaças e intimidações ficam de fora, Tópicos de descontentamento ou desabafo contra profissionais, empresas ou alguém do grupo são proibidos. Fora isso, pode tudo. Especialmente trocar dicas sobre qualquer coisa que aflige as mães de todas as idades e com proles em diferentes fases. De acordo com a moderadora Viviane Amorim, o grupo é heterogêneo e ensina diariamente como perceber e compreender o outro e seu ponto de vista. "Oferecemos amizade e carinho a quem nem conhecemos muitas vezes. Proporcionamos amizade, acolhimento, diversão, informação e interação a muitas mães amigas e tentamos diariamente oferecer todo o beneficio que recebemos, todo amor, carinho e amizade. Porque acreditamos que esse é o unico caminho a ser seguido."


Segundo a moderadora Aline Amorim, o grupo se tornou sinônino de solidariedade e de opotunidades para as mulheres moradoras de Águas Claras e região. "A página se tornou uma grande família, onde as moderadoras e participantes dão o melhor de si sem esperar nada em troca. Um lugar onde a gente se emociona, temos choques de opinião mas, acima de tudo prevalece entre nós o acolhimento e respeito." O grupo virou um ponto de encontro virtual que cresceu tanto, que hoje, possui uma marca própria e realiza eventos diversos, como piqueniques, festas do Dia das Crianças, festas das famílias, workshops para mulheres com assuntos que vão desde empreendedorismo até sexualidade e projetos especiais como Expo-Mães Amigas, Medida Certa, Casando as Mães Amigas, Mamães de Primeira de Viagem, Mâes na Selva.


A página é dividida em espaços destinado às fotos, dos produtos publicados no grupo e os eventos realizados pelas administradoras. Posts dedicados a temas específicos, ultilidade pública. Receitas de comidas para fazer com crianças, indicações de escolas, creches, estabelecimentos, dicas para festas de aniversário, casamento, batizado, formatura e opções de programação infantil. De acordo com a fundadora do grupo Ana Paula Leite, a comunidade também incentiva o empreendedorismo feminino, com o objetivo de promover entre as mães a ideia de consumir produtos umas das outras, visado o fortalecimento da amizade pessoal e promovendo encontros. “Apoiamos e incentivamos as empreendedoras, com a promoção das mesmas, sendo com feiras, exposições, eventos, divulgação em nosso site, projeto de capacitação e Formalização."


As moderadoras


Ana Paula Leite Sousa


Administradora por formação e profissão, casada e preocupada com o bem estar das pessoas. Ana criou um canal para promover a amizade entre as mães de Águas Claras. Muitas delas recém-chegadas ao Distrito Federal, sem parentes por perto, com muitas dúvidas tanto de serviços, quanto a própria maternidade. "O grupo representa uma pausa da minha rotina diária. É um lugar onde me sinto útil e onde conheci muitas mulheres guerreiras que me servem de exemplo quando a rotina cotidiana me tira dos eixos."


Aline Amorim
Mãe, apaixonada e imperfeita. Administradora, casada. Aline, 38, é uma sagitariana típica, que ama viajar, conhecer pessoas, falar bobeiras, engraçada, família, gentil e da paz. "A página Mães Amigas de Águas Claras, é um conjunto de de união e solidariedade todas as participantes."


Adriana Navarro
Médica anestesiologista, mas não “doutora”. Só Adriana. Apaixonada pela família e pela profissão. Na cozinha, acha que não, mas faz cada bolo… Perfeccionista e metódica, brincalhona e serena. "A página é um meio de interação entre mulheres com culturas, hábitos e origens diversas com o objetivo de trocarem vivências sobre a maternidade e relacionamento familiar, como também é um local para fazermos amizades, oportunizarmos negócios e praticarmos boas ações."


Kelly Sumi
Formada em psicologia, mas perdeu o diploma em algum lugar da casa. É casada, tem dois filhos, é mãe em tempo integral e tradutora quando sobra tempo. Ama cozinhar, comer, tricotar, pintar e ler.


Viviane Amorim
É designer, casada, mãe de dois filhos, dinâmica, criativa, comunicativa, justa com todos e com muita disposição para tocar os projetos do grupo. "Fiz muitas amizades no grupo, amigas presenciais, apenas on line mas todas pessoas incriveis, muito importantes e que somam muito na minha vida. Conheci muitas empreendedoras, serviços, tirei duvidas, me diverti muito e também me emocionei bastante. Eu amo esse grupo."


Trocas virtuais
A solidariedade é uma das características que Ana Paula observa entre as mães do grupo. Que que interagem frequentemente com vários posts na página. A empresária Geane Teles, relata que o grupo foi de grande valia para sua vida pessoal e profissional. “Por meio da página pude divulgar os trabalhos oferecidos em meu espaço, fazer novas amizades, indicações de serviços oferecidos e trocar experiências. Sou grata ao grupo das Mães Amigas de Águas Claras, por tudo o que pude obter por meio do mesmo. Show de bola, sem contar nas risadas, adoro esse grupo.” Diz.


A dona de casa, Jaqueline Correa, conta que o grupo ajudou ela em um momento que estava desanimada com sua área profissional. “Derrepente encontrei um grupo que estava cheio de sorteios e centenas de comentários, então resolvi entrar nessa onda também, divulguei meu trabalho, deu certo e rendeu benefícios. Vi também uma ótima oportunidade para tirar dúvidas, dicas de moda, culinária. Não começo o meu dia sem antes entrar na página para ver as novidades. A organização e a preocupação que as moderadoras tem com nossa segurança e bem estar e incrível.” Conta.


A assessora de imprensa, Natália Oliveira, ressalta a importância do grupo para a cidade de Águas Claras. “O Grupo foi uma feliz descoberta, pois vamos conhecendo a cidade através do olhar e da impressão de outras mulheres e muitas vezes mães. Conheci lugares bacanas, produtos excelentes, evitei lugares mal avaliados. Fora que recebemos alertas sobre situações perigosas simultaneamente! Ah e o papo e fofocas que não podem faltar,” explica.

Homenagem do Jornal O Universitário a todas as mães do Distrito Federal! Feliz Dia das Mães.
Ser mãe é:


"É abrir mão de certas coisas para dar ao seu filho. É ser pai, amiga, tia, vó, chata, legal. Minha jornada é dupla...já desistir de estudar pra concurso, não consigo abrir mão de ser esposa e mãe para dedicar-me totalmente a isso." Michelle da Fonseca Martinho, moradora de Valparaíso-GO.


"Ser mãe para mim é algo simplesmente maravilhoso. Ser mãe realmente é padecer no paraíso. Nos tornamos menos egoístas, aprendemos a dividir e a nos doar para essa pessoinha que chega em nossas vidas pra nos dar muitas alegrias e preocupações também." Maura de Carvalho Baptista, moradora da Asa Norte.


"É uma dádiva de Deus, um presente ofertado para você cuidar, educar, impor limites, anular a sua vida em determinadas fases em prol do seu filho, é chorar, rir, sofrer, mas é um amor tão danado de grande que a faz esquecer todos os problemas e seguir em frente. Não desista jamais de seus filhos, pois caso falhe terá que prestar contas dos seus atos. Aproveito a oportunidade para desejar um feliz dias das mães e nunca desista dos seus filhos." Rosangela Mendes Paixao, moradora do Riacho Fundo.


"É uma benção de Deus concedida a nós mulheres, pois quando nos tornamos mães é um amor sem limites. É antes de tudo amar sem pedir exatamente nada, um amor puro sem limites." Sebastiana Barto Pereira, moradora do Valparaíso-GO.


"Ser mãe requer atenção, carinho, apesar de tudo é gratificante ver seu filho sorrindo e com saúde, te tira de quallquer estresse, te da energia, te da forças pra acordar no outro dia e começar tudo de novo." Camila Veras Aguiar, moradora de Taguatinga.


"Ser mãe é: ter o coração fora do corpo, é um misto de alegrias, culpas e preocupações. Nos dias de hoje com está jornada dupla, tripla é muito tenso. Eu mesmo trabalho, faço estágio e faculdade. Nos vemos perdidas e culpadas, principalmente para quem mãe e pai. De ficar pouco com o filho, porém com aquele alívio de termos a certeza que tudo que buscamos em prol do melhor para o nosso bem maior." Lídia Cândido, moradora de Brasília.


"Ser mãe é simplesmente maravilhoso. temos as dificuldades as renuncias, mas temos a recompensa de olhar e ver crescer dia a dia um serzinho que vai precisar de você pro resto da vida, pois sou mãe hoje mas preciso muito ainda da minha mãe." Mônica Mendes, moradora de Brasília.


"Ser mãe, é um grande mistério de Deus. É desdobrar a sua vida, em 1, 2, 3 e mais filhos q o criador lhe conceder. Ser mãe é ser tocada pela mão de Deus. Ser mãe é plantar harmonia.Ser mãe é ser capaz de doar a própria vida, nunca abandonar... Ser eterna!" Isabella Moura, moradora de Brasília.


"Ser mãe, olha, e descobrir o verdadeiro amor, é morrer pelo seu filho e abdicar de tudo para que ele fique bem. Minha vida se transformou, tudo se fez novo, não vejo a hora de sair do trabalho pra vê-lo, brincar, dar jantinha, brincar até cansar, dar aquele banho terapêutico e coloca-lo pra dormir. Cansativo, mas é meu maior prazer." Mayara Veras, moradora de São Sebastião.


"Ser mãe é ter o próprio coração batendo fora de seu corpo... Estou grávida de 18 semanas da minha terceira filha, minhas três vidas, meus três amores, minhas três preciosidades!!! Amo ser mãe! Trabalho meio período, cuido de casa e meu tempo livre são exclusivamente das minhas princesas!!!" Priscilla Moreira, moradora de Brasília.


"Ser mãe é uma dádiva de Deus! Dizem que ser mãe é padecer no paraíso, eu digo ao contrário:ser mãe é viver no paraíso! Não há nada mais lindo que ser chamada de mãe. Foi difícil mais consegui cria-los, é muito complicado conciliar filhos, trabalho, estudo, enfim.Passei por muitos momentos difíceis, e hoje eu me considero vitoriosa, cumpri a minha missão." Cilene Rocha, moradora de São Sebastião.


"Ser mãe foi a maior honra que pude receber de Deus e da vida, nunca me senti tão realizada numa tarefa quanto na de cuidar de alguém que depende tanto de mim, depois da maternidade posso dizer que sei exatamente o que é amor." Grace Lima, moradora de Brasília.




Outras Fotos
Para comentar esta notícia você deve ser cadastrado. Caso não possua um cadastro clique aqui.
Esta notícia não possui comentário!

Telefone +55 61 3033 3650 - E-mail contato@jornalouniversitario.com.br

OUniversitario.com.br © Copyright - 2008-2012
Todos os direitos reservados